41 3095 9502

Facebook

Informativos - Caso Ronaldinho Gaúcho

 

No dia 06 de Março, o ex-jogador de futebol, Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Roberto de Assis foram detidos com passaportes falsos no Paraguai.  

Às 22h de sexta-feira, 6 de março, quando ambos estavam num hotel próximo ao aeroporto, os irmãos Assis foram detidos e levados para a Agrupación Especializada.

Os investigadores detectaram que o pedido de naturalização paraguaia de Ronaldinho e o irmão foi registrado no Departamento de Migração. Ambos disseram que não solicitaram esse procedimento e o Ministério Público, então, anunciou a investigação de um possível esquema de falsificação de documentos que envolve funcionários públicos e pessoas do setor privado do país.

Ambos estão presos preventivamente pelo crime de falsificação, com pena mínima de 01 ano e máxima de 05 anos.

Desde então três recursos apresentados pela defesa de Ronaldinho foram negados pela Justiça.

Existe a possibilidade de a pena ser cumprida no próprio Paraguai ou o Artigo 7º do Código Penal Brasileiro permite que penas em virtude de condenações no estrangeiro sejam cumpridas no Brasil.

Diante das circunstâncias, é pouco provável que o Judiciário Paraguaio vá autorizar que o Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis cumpram a pena no Brasil.


Devido ao coronavírus, o Poder Judiciário do Paraguai foi fechado e será reaberto apenas no dia 12 de abril. Até lá, dificilmente ele conseguirá mudar o cenário e deverá permanecer preso.

No dia 6 de abril, Ronaldinho Gaúcho e seu irmão completaram um mês de prisão em Assunção.

Por Arthur Gasparim.